O regresso da banda francesa a Portugal

O cartaz do Super Bock Super Rock  continua a tomar forma para um regresso em grande ao Parque das Nações, em Lisboa, nos dias 19, 20 e 21 de julho. Depois de um final de ano em grande com as confirmações de The XX, Baxter Dury, Sevdaliza, Lee Fields & The Expressions, Slow J  e Torres para a 24ª edição do Festival, 2018 começa da melhor maneira, com uma nova confirmação: Justice.
Os parisienses Gaspard Augé e Xavier de Rosnay são responsáveis por alguma da melhor (e mais interessante) música de dança do século XXI. O sucesso enquanto Justice começa em 2006 com "Never Be Alone", uma remistura dos britânicos Simian Mobile Disco, que conquistou as pistas de dança por esse mundo fora. O ano depois, em 2007, surge o primeiro disco da banda. "†" (Cross) conquista o público e a crítica (aparece bem posicionado nas listas de melhores discos desse ano e da primeira década do século XXI) e define a estética sombria desta dupla francesa. "D.A.N.C.E." é um daqueles raros singles capazes de catapultar toda uma carreira, mas não aparecia sozinho: "Phantom" ou "DVNO" são outros bons exemplos de toda a qualidade desta dupla francesa. Depois de uma paragem, os Justice regressaram com "Audio, Video, Disco", o segundo disco, editado em 2011. O single "Civilization" mostrava a mesma banda ambiciosa, com vontade de inovar e continuar a testar os limites da música eletrónica, agora com influências do rock progressivo. Em 2016, chega o terceiro disco: "Woman". Sem perder a identidade, os Justice oferecem-nos um registo mais luminoso, mais próximo do funk dos anos 70, como prova a belíssima "Randy". É, certamente, uma banda diferente, mas com os olhos postos no futuro, aquela que vamos encontrar no Palco Super Bock, dia 19 de julho, no Super Bock Super Rock.